quarta-feira, 9 de maio de 2007

Minha vida de menina...

A menina tonta passa metade do dia, a namorar quem passa na rua, que a outra metade fica p'ra namorar-se ao espelho. A menina tonta tem olhos de retrós preto, cabelos de linha de bordar, e a boca é um pedaço de qualquer tecido vermelho...”
(Poema da Menina Tonta – Manoel Fonseca)

Não gosto de ser chamada de menina. Tenho a impressão que sou mais nova do que realmente sou... E quando eu penso que sou mais velha o sentimento de “velhice” próxima começa a me assolar tenebrosamente. É como se nascesse um fio branco, quase que instantaneamente, em meio à escuridão dos meus cabelos. È paradoxal, eu sei, mas a vida é assim, cheia de paradoxos.

Nenhum comentário: