quinta-feira, 28 de junho de 2007

Assuntos inacabados...


Abri meu caderno de textos,
ainda gosto a moda antiga.
Descobri-me em meio a assuntos inacabados.
Vários textos, parados, no início, sem finalização,
sem ponto final.
Uma angustia e ao mesmo tempo, uma coragem, tomou conta de mim num
sentimento avassalador.
Sempre há tempo para recomeçar.
Para os textos inacabados, uma nova oportunidade.
Para alguns assuntos inacabados, não há a mesma sorte.
A porta que se fecha, o ponto que finaliza, o que se acaba,
arremate,
novamente não se abre.
A mente, a inspiração, a escrita, para a minha felicidade,
são sempre inacabadas.
---------------------------------------------------------------------------------
Postscriptum:

Saudades deste meu canto. Mas precisava de um tempo só com o papel e a caneta. Deste tempo nasceu este poema , e ele agora registra a minha incrível capacidade de não acabar o que eu começo, para tudo. Um dia isso vai ter que mudar.

Descobri Florbela Espanca - Coração, amo-te, dedico a ti esta minha descoberta - A Mensageira das Violetas. E de imensamente feliz transcrevo...

"Diz-me a Tília a cantar: "Eu sou sincera,
Eu sou isso que vês: o sonho, a graça,
deu ao meu corpo, o vento, quando passa,
este ar escultural de bayadera...¹"


¹: Em espanhol, bailarina ou cantora indígena.

(ESPANCA, Florbela. A voz da Tília)

3 comentários:

Ju disse...

Bailarina do meu coração...

Descobri tantos pontos para debate sobre o "Guia da mulher descolada" q precisamos sentar e ponderar longamente sobre todos!!! Olhe q até a Ras precisa e quer ter participação nessa conversa!!

Viva o "Guia da Mulher Descolada"!!!!

Bjos por Jas e Ras

Victor disse...

Nós somos um assunto inacabado?

Beijos
(quisera eu poder dá-los pessoalmente)

VH.

Cinara Lisboa disse...

Jú Honey...Café com o Guia da Mulher Descolada Urgente!

Victor...acho que vc sabe a resposta...

Saudades!