terça-feira, 8 de janeiro de 2008

Recordar é viver...





Quem não guarda recordações? Papel de bala, aquele bilhetinho escrito num guardanapo de papel. Um postal enviado por aquele amigo maluco em pleno Rock in Rio ou um botão de rosa seco, oriundo do primeiro bouquet que você ganhou, presente daquele primeiro namorado? Quem nunca guardou aquela regata branca, sem lavar, porque o cheirinho bom do perfume dele ficou impregnado nela e quando a saudade apertava você vestia e ficava sentindo como se ele estivesse ali te abraçando forte?
E as fotos? Centenas delas que remetem a tantos momentos.O aniversário de 15 anos da irmã mais velha, o casamento dos pais, aquele sítio no carnaval, a festa de final de ano da empresa, aquela viagem para a Disney, ou um dia qualquer, sem maiores pretensões ou motivo aparente, só um dia, onde você tinha uma câmera na mão e uma - ou nenhuma - idéia na cabeça. Registros de algo que já passou e que não volta mais. Lembranças a serem resgatadas talvez num momento de solidão e melancolia ou naquela reunião de amigas, regadas á choro, risadas, música alta e uma garrafa de um chileno rosê.
Guardamos lembranças para não esquecer o que passou, elas contam as nossas histórias, nossos caminhos, nossas vidas. Trazem de volta o que se foi com um gostinho bom de saudade, de quero mais e até de alívio daquilo que, graças á Deus, passou. Lembrar é não deixar cair no limbo dos muitos e muitos problemas diários, das confusões e do excesso de informação. É trazer o passado á tona quando ele precisa - seja por puro saudosismo ou para uma análise pessoal profunda - voltar ao presente.
Guardar recordações nos faz pessoas mais felizes. É gratificante pegar aquela foto antiga e vê que o tempo, ao contrário do que você pensa, foi generoso com você. É bom reler aquelas cartas - de um tempo onde não existia email, MSN, SKYPE - enviadas pelos amigos de infância quando você morava fora da sua cidade natal. É bom pegar aqueles recadinhos trocados com a colega do lado durante a aula de biologia daquele professor super bacana do colegial. É bom sentir aquele perfume amadeirado e lembrar daquele cara da balada, ou ouvir aquele samba e lembrar do dia de outro mundo que você viveu. E bom sentir novamente os abraços dados naquela festa de aniversário ao reler os cartões de felicitações. E muito bom pegar aquele apoio de copo daquele bar que você adora e lembrar do dia em que ele te pediu em namoro e você quase caiu da cadeira. E mesmo as lembranças ruins, quando você foi embora da cidade deixando todos os seus amigos, sua casa e tudo que você gostava pra trás, ou da “fossa” que você ficou por conta daquele cara que fez a maior hora com a sua cara. Lembrar da dor de perder um grande amigo ou aquela tia hilária ou aquele cachorrinho de estimação. Das noites insones nas quais você se matou de estudar para o vestibular e não passou. Da dor lancinante quando você quase quebrou o pé. Lembrar das palavras duras ditas naquela briga que abalou tudo. São lembranças, recordações, boas ou ruins, compartilhadas ou não. São inúmeras e elas já não cabem mais naquela velha caixa de papelão. Algumas ficam só na cabeça e vem e vão sinestesicamente. Fazem parte do passado, do presente e do futuro. E estão aí, todas, para nunca nos deixar esquecer que recordar é, sem dúvida, viver.
-------------------------------------------------------------
Postscriptum:

Caros Amigos...Não consigo ficar longe de vocês! Passando por aqui para deixar o primeiro post do ano e nada melhor que recordar não é. Mas vale a pena dizer que "Quem vive de passado é museu...", por isso, deixando em 2007 o que foi de 2007, lembranças só as boas! Que venha 2008 com muita força, muito pique, muita luz e muito samba pra todos nós!

Amoooo todos vocês!


--------------------------------------------------------------
Trilha Sonora:

Cartola - Preciso me Encontrar



Corrine Bailey Rae - Put Your Records On

4 comentários:

Victor Hugo disse...

Oi minha Bailarina linda!

Quantas saudades de ti e dos bons momentos que passamos juntos... recordando sempre!

Estarei em BH no final de semana e te ver será inevitável viu Cinara, não aceito não...até porque quero entregar o seu presente de natal - atrasado, eu sei - E como eu sei que vc adora presentes...

Beijo,

VH

Georgia disse...

Mas recordar é viver. Eu tb tenho algumas coisas guardadas em caixinhas de sapatos decoradas com pedrinhas. Nunca fui de escrever diários, mas guardar as cartas do namorado que agora é o esposo. Papel de chocolate que ele me enviou. Primeiro ticket do cinema ou show que vimos juntos. Acho que isso faz a história da nossa vida.

Bom fim de semana

Anônimo disse...

Oi Ci!!

Saudades de ti minha amiga!
O ano viriou e nós ainda não nos vimos, mas tudo bem isso é sinal de q a vida continua em ordem...

Olha seu post cabe como uma luva para minhas últimas escolhas. Aff!!! Será q isso é bom!!!

Bjos

Georgia disse...

Cinara, tem umprêmio te esperando lá na Saia.

Bom fim de semana