quarta-feira, 18 de junho de 2008

Largo a paixão...




Nunca pensei que eu pudesse me apaixonar de novo, não depois da ultima peripécia em que me aventurei por estas paragens. Mas apaixonar-se é gostoso, gostoso demais. E é por isso que constantemente estamos apaixonados. Dá um certo ar de contos de fadas à vida, mesmo quando a realidade nos parece dura e cruel - Correria, trabalho, trabalho, trabalho... Já falei trabalho? Pois é, trabalho, stress, família, amigos, compras no supermercado, a nova habilitação da faculdade, o aluguel, médico, assinatura da revista, aula de dança - Enfim, seria bacana se tudo fosse simplesmente lindo, perfeito e cor-de-rosa.
Mas estar apaixonado é, antes de tudo, um estado de espírito. E é um estado de espírito que transforma a gente e tudo à nossa volta. Pode até parecer uma visão otimista demais e quase ingênua, mas comece a reparar, paixão contagia. E assim como ela contagia ela invade. É, invade, porque ela não bate na porta, manda recado, pede licença ou liga avisando, ela chega, assola, se instala, arrebata, estando você preparado ou não. Paixão surge de onde menos se espera, quando menos se espera. E por mais que você afirme pra si ou para quem quer que seja que está imune à ela, no fundo, todo mundo quer encontrar algo ou alguém por quem se apaixone. Paixão é arriscar, jogar-se com tudo no escuro e desconhecido que é o coração de outra pessoa. As vezes dá certo e você atinge aquele grande alvo vermelho, outras não, e a frustração é inevitável. Acontece, fazer o quê?! Paixão é desejo e o desejo nos impulsiona, nos dá ânimo novo, nos fortalece, faz criar asas, ousar mais, agir mais. Faz erramos mais também, trocamos mais os pés pelas mãos mas, errar sempre será humano e o importante vai ser sempre, aprender com o erro de deixá-lo para trás.
E, como tudo na vida, paixão tem revés e faz com que a gente perca o raciocínio, faz ficar sem chão e por vezes, confunde, conturba, desilude, magoa. Dói, dói muito, no fundo. E aí, por mais que se tente disfarçar, esconder ou evitar, a paixão faz sofrer, chorar, mexe com os brios, com o nosso orgulho, nossa vaidade e chegar a ser ambígua, porque ás vezes ela passa a ser raiva, ódio. E algumas vezes também ela aprisiona, deprime, engana. Mas não acredito que deixe de ser paixão, acho que ela apenas toma uma outra proporção. Paixão faz bem e faz mal, paixão alimenta e deixa com fome, paixão dá alegria e tristeza, paixão é paradoxal. E é assim, tudo ao mesmo tempo e agora, porque não?!
Mas comecei falando que nunca pensei que pudesse me apaixonar de novo, pois é, aconteceu. E eu, por mais escolada que estivesse em “Paixonitis Agudis”, me deixei levar por mais uma. De certo que as coisas não foram como eu esperava e o meu pobre e humilde coraçãozinho ainda esteja tentando reaver o que sobrou e recolher os caquinhos mais difíceis de catar, mas a paixão tomou conta e foi boa, mesmo não sendo correspondida. Descobri que ás vezes a gente fica com idéia fixa no “Encantado” mas é o “Shrek” que vai nos fazer feliz e que algumas coisas são exatamente quando, mas principalmente se, tem que ser. Lembrei que por mais que as coisas não tenham de todo dado certo, valeram todos os momentos, porque aprendi que paixão é faça, seja lá o que for ou por mais estranho que possa lhe parecer, faça. Vá à luta. Com tal intensidade que não dê margem à dúvidas ou questionamentos. E como diria a Tih, é tudo uma questão de porcentagem, quase um investimento, os seus 50% você sabe que pode contar. É assim, uma equação matemática. O resultado?! Depende é claro das constantes!
Final feliz eu deixo reservado para os contos de fadas, aqueles romances água-com-açúcar e para as mocinhas das novelas mexicanas, hoje eu me contentaria apenas com a sorte de um amor tranqüilo no entanto, como diria Paulinho da Viola, deixo em aberto meus saldos de sentimentos. Mas por mais gostoso e contagiante que seja estar apaixonado, largo a paixão e hoje meu coração vai dar um tempo. Sabe-se Deus, até quando.

------------------------------------------------------------
Postscriptum:


A idéia deste post nasceu de um encontro feliz entre meus 'amores do core'. É paixão o que eu sinto por vocês viu! Juh, Bella e Xuxu, valeu pelo momento Travessa de ontem, valeu o 'Perequita" e a "Stella Artois", valeu pela companhia, risadas e inspiração! Amo vocês: sempre!

Dedico à vocês e também à Dinha e Déia este post, certa de que sempre haverá amor pra recomeçar...

------------------------------------------------------------
Trilha Sonora - Para ouvir enquanto lê:


"Amor, meu grande amor" (Barão Vermelho_Angela Ro Ro e Ana Terra)


Barão Vermelho - Amor meu grande amor




------------------------------------------------------------
Na biblioteca - Para ler e se emocionar:

"Viandante" (Yeda Prates Bernis) - Paixão que transcende as barreiras...

13 comentários:

Anônimo disse...

Prima querida, obrigada pela homenagem...Mas paixão é isso mesmo, quando a gente menos espera ela acaba, e acaba de uma maneira tão banal que parece que nunca existiu. Mas AMOR, AMOR...esse sim é gostoso, e quando não correspondido dói muito mais e custa, custa a passar, e deixa marcas profundas. Mas paixão todo dia a gente tem uma...e é "bão" de+. Sua prima querida...Sílvia

Cleu Sampaio disse...

É. "Das veiz" dói demais, mesmo assim dói mais não se apaixonar, né? Bom reparo :-)

Mony disse...

Hum!!

Muito gostoso mesmo está apaixonada...
Traz cor para o mundo..

Mesmo num tendo aquele final de novelas...
Eh gosto de intenso ...

Adorei a sua definição
Simplesmente perfeita...

Ah!!! Quero um paixão que mais de duas estações

Jú disse...

Ok, o primeiro comentário não é meu, mas dessa decepção eu me recupero.
Amiga bailante do meu coração já divagamos tanto sobre este assunto q nesse exato momento me faltam novas palavras. Sei q uma nova experiência me trará uma nova perspectiva, então só temos q desejar q esta venha em breve!!

Bjo mil neste magnífico coração!!

tenho q reivindicar que a teoria dos 50% é minha!! Posso até revelar em qual café de BH ela surgiu... portanto, a Tih q me perdoe,mas este filho é meu!!

Love u..

muito de mim disse...

paixao é sempre bom,mesmo que não seja correspondida...acelera o coraçao,a gente fica imaginando besteira!
O sentimento de não ser correspondido é ruim,mas a sensaçao que se tem quando se está apaixonada é muito gostosa!!!

bjus,saudades de vc flor

Georgia disse...

Paixao, nao é Amor.

Espero que você nao dê um tempo aqui no blog.

Grande beijo

Giseli disse...

Lindo texto. Linda música.
"nada de grande na vida é feito sem paixão." ;-)

Luz disse...

Nossa! Maravilhoso o texto! E eu vou te dizer que estou apaixonada (achava que mandava no meu coraçao, e isso nao iria acontecer)! E nao quero pensar no futuro, quero só viver o presente! Beijoo! Adoreei!

Leandro disse...

"os dias que eu me vejo só são dias que eu me encontro mais e mesmo assim eu sei também existe alguém pra me libertar..." Rodrigo Amarante


Viu? Eu tbém gosto das verdades musicais que ele fala...:)

O titulo de seu texto é legal..."Largo a paixão..."....Mas quando é que ela vai largar a gente?

vc chegou até mim...agora eu cheguei até vc...:)

Mariam disse...

É um dos sentimentos mais gostoso de sentir, rsrsrs... adoro estar apaixonada, mas se pudesse vivia só o primeiro instante da paixão, pq nem sempre o final é legal. Mas a gente costuma sair da realidade quando está apaixonada. Isso é bom. Bjos

Booperfly disse...

Ai, Ci, esse negócio de se apaixonar é uma coisa muito delicada. Ou eu que sou traumatizada kkkkk. Que é gostoso não há dúvida. Mas promete que não vai deixar ninguém te machucar. E seja feliz!!!!!
Obrigada pelo carinho!
Bjos,
Paulinha
http://www.booperfly.fairy-tales.com.br

Cinara Lisboa disse...

Olá pessoas lindas e queridas!

Então...Quase 'sarando' desta tal paixão...Quase!

Olha só, prometo passar nos respecitvos blogs pra visitar e ver o que tem de novo...Mas desde já agradeço demais o carinho e os comentários!

Bjo enorme pra todos!

Cyna

guilherme dias disse...

Defeitos todo mundo tem, se qualquer coisa vc desiste tanto de relacionamentos quanto de sonhos quer dizer que no fim das contas não queria ou não estava preparado/a, há uma lacuna nas relações que só paciência respeito e conversas resolvem. somos pessoas,sujeitos,seres como quiser nomear biopsicossocial, essa é minha humilde opinião CI,linda.