sexta-feira, 2 de outubro de 2009

Procura-se



Dizem que quem procura, acha. Veja eu, estive procurando meus óculos de grau por uns 2 meses e, de repente o encontro caído no vão das gavetas do meu armário. Procurei até que um belo dia, numa limpeza de rotina, o achei. Viva! Descanso para as minhas vistas tão viciadas em computador. No entanto, discordo dessa máxima quando o assunto é amor. Amor não adianta procurar, mesmo porque não é algo que se perde ou que tem oferta a revelia por aí. Amor, pra mim, é produto em falta no mercado. E pelo que pude perceber, tá em falta faz tempo e sem previsão de renovação de estoque. E como amor está diretamente ligado ao romantismo eis aí também outro ‘artigo de luxo’.

Fui chamada de pouco romântica numa conversa outro dia, mas quer saber?! Pouco romântica por quê?! Porque preferi deixar de acreditar no ‘príncipe encantado’ e resolvi partir pra a praticidade de acreditar que eu vou ter que me contentar com o ‘sapo cururu da beira do rio’ se quiser ter um ‘happy end’? Alowww, fofo, favor não confundir realismo com falta de romantismo. Valei-me Santa Izildinha das pessoas que preferem estar a serem felizes. Dá pra ser feliz hoje mesmo minha gente, não é preciso esperar até amanhã não. Não escondo de ninguém que ando querendo um namorado ultimamente, alguém que venha somar-se às minhas felicidades (e tristezas) diárias, mas daí a achar e fazer desse o único e derradeiro motivo pra minha vida estar mais feliz e colorida já é o cúmulo da carência. E isso nada tem romântico.

Além do quê, como procurar por amor e romantismo quando os ‘relacionamento-restaurante’ imperam?! Como empreender cruzadas e expedições para esse ‘prato’ que está fora do cardápio?! Quer saber o que é um relacionamento restaurante, pois bem (que me desculpe mais uma vez a minha mãe a expressão chula) é o famoso: ‘Entra, come e vai embora’. Simples assim. Não precisa fazer compras, não precisa cozinhar e, o melhor, não precisa lavar a louça, muito menos guardá-la depois de seca. Como procurar pelo amor e pelo romance se essas coisas se perderam em meio a tanta casualidade, a tanta superficialidade, a tanta descrença?!

Tem gente que saí durante anos com uma pessoa e essa pessoa se quer sabe se a outra prefere café ou chá. Pra ela tanto faz, não é na cama da outra que vai acordar no outro dia mesmo. Vai cobrar romance como?! E amor então? Nem se fala, não há tempo pra essa palavrinha tão pequena. Amor chega a ser piegas, papel antes renegado apenas ao romantismo. Ficou tão fácil falar eu te amo que hoje até seu chefe é capaz de dizê-lo, principalmente numa reunião depois da sua equipe ter batido a meta e ele, de encher as ‘turras’ de dinheiro. Amar assim é fácil, quero ver comer um ‘pacote de sal’ com o outro e, ainda sim, continuar amando.

Mas mesmo com tanto desamor por aí e com o romantismo em baixa, ainda acredito nestas duas vertentes. Entretanto, cansei de procurar em vão. Aliás, canso mais toda vez que ouço afirmações como a do meu interlocutor na conversa que citei. Porque há de se convir comigo, coisas desse gênero são broxantes. Por isso, vou seguir a filosofia do pára-choque de caminhão: Cansei de procurar pelo amor, ele se quiser, que me encontre. E tenho dito.

------------------------------------------------------------------------------
Postscriptum:


A história de Lilly Braun (Maria Gadú_Chico Buarque)

6 comentários:

Michelle disse...

AS vezes sabemos mesmo como as coisas são, porém é preciso que alguém nos arraste para realidade.
Pois o principe encantado ficou no meio do caminho, e o cavalo é que tem chegado sozinho. Banalizaram a palavra Amor.e como dizem: "não corram atrás das borboletas..."

Vou voltar sempre...
Lindo Blog

Vanessa disse...

Eu sempre pensei e disse isso. Concordo do início ao fim. O mundo precisa de mais romantismo mas isso é algo que já não há. Daí pode-se questionar a coisa da seguinte forma: viver alienado ou acordar pra realidade? Sim, acordar pra realidade.

muito de mim disse...

Acho que vc disse tudo... ainda acredito sim no amor, mas em principe encantado,jamais... e se isso é falta de romantismo paciencia... saudade de vc flor!

Aline LUA disse...

Como dizia o sábio poetinha para se apaixonar é preciso estar distraído.

.::Jura Dita::. disse...

Oi querida !
Passei por aqui pra saber onde e quando posso finalmente te entregar suas encomendas? Sim ! Ainda exitem! Rsrs.
Ah ! E quanto ao AMOR eu fui encontrada e continuo feliz ! Quando a gente menos espera encontramos , talvez em situações nunca imaginadas, quando a gente cansa... como os óculos no vão da gaveta !
Bjs Dany

Ric disse...

Oi! Concordo contigo... menos da parte de que o amor seja uma "palavrinha pequena"!

Bj pra ti mocinha