terça-feira, 2 de fevereiro de 2010

Solteira Convicta




"Por trás de um homem triste, há sempre uma mulher feliz(...)"

Carro pára na porta, buzina, segundos depois ela sai de casa e entra no carro – pausa para um beijo caloroso ainda com a luz interna acesa – e lá sem vão. Cena típica, acontece comigo, com a vizinha da casa da frente, com todo mundo que leva uma vida ‘nos padrões sociais normais’ (Nada contra os ‘anormais’. Que fique claro: amo a diversidade!). A vida como ela é minha gente: vivida.

Outro dia destes saio para correr e uma vizinha (que me conhece há anos) pergunta se finalmente deixei de ser ‘solteira convicta’. Bom, pelo o que eu saiba ainda sou solteira. Está lá ó, no meu registro no cartório, estado civil: SOLTEIRA. Porque só mudamos de estado civil em caso de casamento, divorcio ou  viuvez. E como os dois últimos dependem perante a lei, do primeiro, meu estado civil continua o mesmo já que ainda (bem ?!) não me casei.

Não tenho nada contra casamentos, nada mesmo. As pessoas querem se casar?! Pois bem, que se casem. Sou contra na verdade algumas pessoas que cismam em fazer do casamento meta de vida e que jogam para cima do outro (no caso o conjugue) a responsabilidade de fazê-las felizes. Um twitteiro (@bomdiaporque) postou certa vez que não precisava casar, pois conseguia perfeitamente, ser infeliz sozinho. Pois é, do mesmo jeito que dá pra ser infeliz, pode apostar, dá pra ser feliz também. Casamento virou sonho de consumo de gente frustrada consigo mesma e fachada pra se dizer que leva uma vida plena. Casamento pra muita gente é passaporte pra felicidade, o único problema é que quando chega lá muita gente não fica satisfeito com o que encontra.

Não estou aqui fazendo apologia à solteirice, muito menos dizendo que a vida de solteiro é a melhor opção e um verdadeiro mar de rosas. Também não estou dizendo que não existam casamentos que dão certo, felizes e plenos. Se eu for contar, quase não tenho exemplos de ‘casamentos submarino’. Digo e repito, não sou contra casamentos, sou contra a atitude das pessoas e como elas tratam algo que deveria ser a consumação e não a porta pra felicidade. Não sou como disse a minha vizinha uma ‘Solteira Convicta’ (embora goste bastante da liberdade que este estado me dá). Minha convicção é que estarei feliz comigo mesma, nem que seja de pirraça! E isso vai acontecer estando eu, solteira, casada ou qualquer um dos estados civis previstos na constituição.

----------------------------------------------------------------------------------
 
Postscriptum:
 
E como esse dia 02 demorou pra chegar! Mas o importante é que chegou e estamos aí, sendo assim, aproveitem! Ah! E aproveitem também pra dar uma passada no Ulisses & Eu, repaginado e sempre com uma 'odisséia cotidiana' pra vocês!
 
Saudades,
 
----------------------------------------------------------------------------------
 
Trilha Sonora:
 
'Deixa a menina' (Chico Buarque)

6 comentários:

Michelle disse...

Nossa mais um texto que me deixou com gostinho de quero mais...
ainda bem que fevereiro é bem curtinho, assim o próximo dia 02 chega mais rápido.
Bjus Bailarina.

Victor Hugo disse...

Pode falar a verdade, essa vizinha que perguntou é aquela da grade marrom depois da loja?!

Ela sabia até a hora que eu passava pra te pegar!

Olha o ex-namorado ('promovido' ao posto de melhor amigo e conselheiro nas horas vagas) promovendo a discórdia na
vizinhança!

Fique à vontade pra 'sambar em paz', pequena!

Amo,

VH

Old Bird disse...

um texto muito bom...gostoso de ler....que flui naturalemnte sem esforço....gostei muito

nada mediocratico...solteirice tem mais é ki ser bem aproveitada, apesar que ainda nao consigo desgarrar de relacionamentos passados....eita!!!

ate mais

Carolina de Castro disse...

Amei, amei amei o texto!
Já li duas vezes.
Essa bateu fundo em mim. Tenho 28 anos e praticamente todas as minhas amigas ou casaram ou estão no processo de casamento.
Porque nâo podemos ser sinceras e namorar bastante, viajar?
Rola uma pressão social sim! Com certeza!
Beijos

muito de mim disse...

amei o texto! Solteira sempre, enquanto tiver ue ser... sem ser apegada a relacionamentos anteriores, pq quem vive de passado é atleticano!
bjus

Bailarina disse...

Pois é minha gente, o bordão (pra minha tristeza) já até virou funk, mas vou repetir ainda sim: 'Solteira sim. Sozinha, nunca!' kkkkkkk!

Aos novos visitantes obrigada pela visita! Adorei e voltem sempre!

Amores (Mih, Tatá e Vit), saudades de todos!

Besos