sábado, 12 de maio de 2007

O vício de escrever...


"Mas o que sinto escrevo.Cumpro a sina.Inauguro linhagens, fundo reinos -- Dor não é amargura." (Com licença poética - Adélia Prado)


Cá estou eu novamente...trocando o velho caderno pelo teclado do lap...gosto da idéia dos meus dedos, com as minhas unhas pintadas de vermelho, tocando de leve cada tecla negra... Descobri que escrever sempre me fora um hábito. Gosto do momento único e do prazer inexplicável que a escrita me dá...é como um vício.
Virei uma viciada neste blog. A bailarina agora quer dar uma de escritora com ares de importância....Para alguma coisa há que ter servido quatro anos sentada naquelas cadeiras da PUC. Estou virando um híbrido: Bailarina-Poeta.
E a escrita não vem sozinha porque, geralmente, um vício puxa o outro. Ela anda acompanhada da leitura, que na verdade, acho eu, veio primeiro. Horas a fio, lendo, relendo, lendo novamente, noite a dentro.
Para acompanhar este momento: "on the rocks", Chico e tempo, muito tempo...
As noites frias que chegam são o prelúdio de um inverno rigoroso. Mais um final de semana em casa, o mundo frenético já estava me fazendo mal...Por isso e por muitas outras coisas mais, eu escrevo. Não me importa se será lido, externalizo. Do contrário, viveria na angústia que estava me consumindo: Era abstinência de papel, caneta e eu-lírico.

Um comentário:

Marcos disse...

Coincidência....
Ontem mesmo li esse poema da adelia q vc colocou no comecinho.
To me deliciando com ela.
Adorei seu texto tb... Unhas vermelhas no teclado preto, escrever sem preocupação de que seja lindo.
Achei lindo, lindo.

Marcos