domingo, 19 de outubro de 2008

A vida inteira pode ser qualquer momento...

Um conto sem explicação.




Ele passou por ela na rua.
Claro, obviamente, ela não percebeu.
Ela passou por ele na fila do cinema.
Comprando pipoca, ele não a viu.

Um dia ela estava no ônibus, indo pra agência.
Ele no carro, indo pro consultório.
Ela cantava ao som Piaf.
Ele tamborilava no volante ao som de Vinícius.
Por um momento os olhares se cruzaram.
Sorriram, dois loucos perdidos em seus mundos na metrópole.

Ela desceu dois pontos pra frente, num lugar qualquer.
Ele estacionou logo mais a frente, algum lugar sem faixa azul.
Olharam, viram, encontraram.
A conversa foi única, decisiva. O mundo era dos dois!

- Vem comigo, no caminho eu te explico!

------------------------------------------------------
Postscriptum:

Caros amigos. Um breve mas lírico conto. Como sempre, fiquem à vontade para críticas, comentários, elogios e sugestões. Fiz algumas alterações no blog e logo virão outras, no entanto, adianto que tudo sempre pra melhor.

Saudades,

------------------------------------------------------
Trilha Sonora - Para ouvir enquanto lê:


Leve (Ney Matogrosso_Iara Rennó e Alice Ruiz)


ney matogrosso - leve




4 comentários:

Olga disse...

Gostaria de dizer que adoros seus contos, por mais simples que alguns possam parecer sempre há algo encantador em cada um deles e com esse não foi diferente.

E estou com mais esperança, a cada dia uma vitória! rs O jeito é seguir com o livro/café de
auto-ajuda rs.
'Umbeijos'

Leandro disse...

essas distrações um dia pode ser bom...um dia pode ser sorte...ao mesmo tempo que pode ser ruim e um azar!

Um dia vc pode ir acompanhada e depois voltar sozinha...
Ou então ir e vir acompanhada....
Ou então ir e não vir...

Encontros e acasos são sempre um risco que as histórias teimam em seguir!

muito de mim disse...

como sempre um otimo conto...
as vezes tudo o que queremos,tudo o que sonhamos está na nossa frente mas na correria em que vivemos deixamos de perceber o que está a nossa volta!

ps.: Temos que marcar um samba!

Victor Hugo disse...

Vou pra onde quer que você vá!

E nem precisa de explicação...

Beijo,

Obs: Me inclua na fila dos que esperam pelo samba!