domingo, 2 de janeiro de 2011

Óculos

 


"O correr da vida embrulha tudo, a vida é assim: esquenta e esfria, aperta e daí afrouxa, sossega e depois desinquieta. O que ela quer da gente é coragem." (Guimarães Rosa)

Em 2010 aconteceu de tudo na minha vida. Aposto que na sua, caro leitor, também. Enfim, aconteceu de tudo no mundo, na minha vida, na sua vida, na vida do vizinho, na do presidente, na daquela pessoa que mora em Pontaporã e na daquela que mora numa ilha afastada em pleno Pacífico. Graças a Deus e já diria Cazuza, o tempo não pára, e a vida, por sua vez também não.
Tá certo que 2010 não foi o melhor ano da minha vida e que os acontecimentos do ano que passou não foram, no saldo, os melhores. Mas eu mudei de emprego, me libertei - embora não sem dor - de uma paixão que me fazia mal, conheci novas pessoas, fiz novos amigos, voltei a fazer terapia, descobri alguns lugares bacanas, viajei, reforcei laços, aprendi a lidar com algumas derrotas com certa classe e leveza, deixei de me preocupar com alguns problemas que não dependem de mim para haver solução, sorri mais quando pude, chorei menos quando deveria.
Sei lá quantos acertos tive em 2010, quanto aos erros prefiro esquecê-los e levar apenas o que aprendi com eles. Das promessas que cumpri, fico feliz por ter tido força de vontade, das que não realizei prefiro pensar que não era o momento para que elas acontecessem. Das minhas metas, dos meus planos e dos meus sonhos, não me interessa fazer saldo, dou-me por satisfeita com os que consegui realizar. O importante no fim das contas é o que temos e não o que poderíamos ter tido.
Se com o ano novo tudo se renovar, que se renove também a nós mesmos. Não por senso comum por pensar que haverá novos 365 dias, mas por necessidade de renovação de ciclos para que a vida possa continuar a acontecer, como aconteceu no ano que se passou. Claro que as expectativas serão sempre de que tudo de melhor aconteça, mas se iludir com o 'mar de rosas' faz apenas com que a decepção caso algo não dê certo seja ainda maior.
Se for preciso traçar uma meta para 2011 que seja ela: ANALISAR SOB A MELHOR ÓTICA. E se houver promessas a serem feitas sejam as de que possamos encarar as perspectivas com bom humor, bom senso, disposição, coragem e, sobretudo, realismo. Não que os sonhos não sejam algo bom, mas o realismo faz com que a gente encare a vida de cara limpa, sem rodeios, sem engodos e na sua verdadeira essência.
Que em 2011 a gente use óculos se for necessário, afinal, a estrada sempre vai muito além do que se vê.
 --------------------------------------------------------------------------------------------------------------
Postscriptum:
Caros amigos,
Primeiro post do ano. Fiquei feliz por sentar e escrever, isso quer dizer que a inspiração deu-me novamente a graça de seu convívio, sendo assim, que ela fique à vontade pra se instalar de mala e cuia e não se apartar jamais! O BSP está em seu 4º ano e já começa 2011 com mudanças, aos poucos elas vão acontecendo e espero que sempre pra melhor.
Um feliz 2011 para todos vocês, que este novo ano seja pleno de felicidade e prosperidade para todos nós!
Abraço bom de ano bom,
Bailarina
---------------------------------------------------------------------------------------------------------------
Trilha Sonora:
Morada Divina (Teresa Cristina_Teresa Cristina e Arlindo Cruz)
“De todas as pedras do mundo que eu possa contornar, que das sete quedas da vida eu saiba levantar (...) Senhora da Mina que mora na cachoeira, peça ao Senhor da Pedreira que olhe sempre por mim, me traga a paz verdadeira, felicidade sem fim (...)”



Um comentário:

Anônimo disse...

Dá uma sugestão de livro bom. Pode ser romance.